terça-feira, 29 de novembro de 2022

PROJETO-PROJETAR

 



PROJETAR é agir de modo pensado para atingir um objetivo. 

É definir qual o melhor caminho para se chegar a algum lugar, e segui-lo. Fazer projetos é uma etapa obrigatória em algumas técnicas, como na engenharia, por exemplo: para se construir um avião ou uma casa faz-se antes de um "projeto". 

Projeta-se como o avião ou casa será, levando-se em conta o uso que quer dar, para que ou para quem servirão seus resultados, quem, quanto ou quando, e para quem serão tais resultados.

Para realizar nossas idéias devemos considerar/pensar nas tecnologias e técnicas disponíveis, na mão-de-obra e no pessoal que temos para trabalhar, etc.

Por exemplo, um projeto comunitário ou social, entre uma população indígena, precisa de uma elaboração e execução conjunta. Ou seja, precisa-se da participação de toda ou boa parte da comunidade.

Neste caso, a ideia e suas etapas caminham para uma solução prática, para realizar algo concreto como uma casa, uma obra, um serviço. Imagine uma confusão que seria construída em conjunto ou de forma coletiva um barco e cada um tinha em mente um modelo diferente de barco: para uso diferente, com tamanho diferente, com uma ideia diferente de como montar... Não daria certo.
Numa pesquisa ou projetos científicos, nem sempre isso é necessário.

VÁRIOS TIPOS DE PROJETO - PARA QUÊ?

Quando construímos aviões, pontes, estradas, barragens de água para produção de eletricidade, nós nossos motivos ou objetivos. Motivos ou para quê escrevemos, pensamos e tentamos realizar tais projetos.

Tem projetos que dependem apenas de nosso próprio interesse ou de um grupo bem pequeno. Por exemplo: O projeto de fazer ou não filhos, o projeto de casar com João e não com José, o projeto de passar uma semana na casa de um parente distante.

Há projetos também que deram mais trabalho ainda, pois, envolvimentos muitas pessoas, tempo, cabeças e braços. São projetos como construir um açude, criar galinha de granja, construir uma casa, fazer uma associação de moradores.

Há projetos comunidades que reúnem um bocado de gente num interesse comum e projetos sociais que tentam melhorar as condições de vida das pessoas.

Projetos científicos geraram teses, artigos, dissertações, trabalhos de conclusão de curso e livros didáticos, por exemplo, geraram muitos tipos de produto. Às vezes tais resultados também podem gerar resultado para um grupo, como por exemplo, numa questão jurídica que recebe respaldo técnico, a validação de um direito de uso de um território, por exemplo.

Em outros momentos, como trabalhos teóricos sobre questões físicas ou antropológicas, por exemplo, os projetos servem para os interesses de um público especializado, podem ser atendidos, projetos individuais ou pessoais. Trata-se de interesse e vontade em conhecer/investigar.Há, portanto, várias qualidades de projetos.

Vamos conhecer principalmente: 

1. PROJETOS CIENTÍFICOS 

2. PROJETOS COMUNITÁRIOS 

3. PROJETOS SOCIAIS 

“Projetos Científicos” seguem regras de método e pesquisa ditos científicos, regras gerais que buscam ou permitem comparações entre si. 

Esses métodos mudam de ciência para ciência. Sempre manteve um projeto inicial que será desenvolvido aos poucos, contando com um grupo de pessoas – pesquisador ou uma única pessoa e seu orientador.

“Projetos Comunitários” geralmente envolvem uma boa  parcela de pessoas, um grupo ou comunidade, uma vila ou bairro.

"Projetos Sociais" têm seu foco nos "problemas sociais".

Segundo a ONU “basicamente, um projeto social é uma ação social iniciada, estruturada em objetivos, resultados e atividades propriedade em uma quantidade limitada de recursos (humanos, materiais e financeiros) e de tempo” (ONU).

Não dá para fazer tudo – é devagar...

Como não é possível fazer tudo, antes é preciso escolher quais problemas são mais importantes de serem enfrentados e que se querem fortalecer com a ação de um projeto.

Depois de definir as áreas prioritárias da ação, quais os problemas principais que serão trabalhados pelo projeto, será preciso pensar como isso será feito, em quanto tempo, com quais pessoas e se há apoio ou necessidade de recursos financeiros.

Essas escolhas irão definir e alterar a técnica utilizada para formular e executar o Projeto. 

Imagine que se defina como prioridade a produção de alimento e venda de excedente; a quantidade de produto que será vendida. A atividade escolhida pela comunidade é a criação de peixe. Como será feita a criação de peixe? Será feita por um pequeno grupo e uma parte do que será produzida será repartida entre a comunidade? Cada grupo de pessoas será responsável por uma parte da atividade? ser capacitação ou aulas para melhorar o serviço?

Quando falamos de “projeto” não estamos falando apenas do documento escrito que atendeu “projeto”. 

O momento de escrever um projeto é muito importante. 

Ele deixa claro para o todos os envolvidos, pessoas, financiadores, organizações, órgãos e comunidade, o que se pretende desenvolver, porquê, em quanto tempo e com quais recursos humanos e financeiros. 

É um documento de compromisso e negociação que se torna explicitamente, claro, entendido uma ideia e como realizá-la. 

Escrever o projeto não é nem a primeira, nem a mais importante das Etapas ou dos passos do projeto. antes de escrever o projeto será preciso muita conversa e acordo prévio, quando todo o pessoal envolvido entender e aceitar uma ideia. 

Depois de escrever o projeto será preciso trabalhar para executar ou fazer este projeto acontecer. 

Muitas vezes é necessário fazer mudanças e correções de caminho para se chegar ao destino ou objetivo que queremos alcançar, seja para construir uma ponte, fazer um roçado e até fazer um menino.

É preciso ainda registrar, escrever o que foi feito e avaliar avanços, erros e acertos.

Todo Projeto: Se abriu tem que fechar.

O projeto deve ser pensado como um conjunto de ações e um "ciclo", uma ideia com começo, meio e fim. Um ponto depois do outro:

1.   Diagnóstico ou avaliação da situação e dos principais problemas a serem enfrentados;

2.   Elaboração do projeto (pensar e escrever o projeto), pretendida como atividades que devem ser desenvolvidas ou realizadas para enfrentar os problemas;

3.   A negociação do projeto , dividir as funções entre os participantes, financiadores e apoiadores;

4.   Implantação do projeto que significa fazer ou realizar o projeto e suas atividades básicas iniciais como reuniões preparatórias, debate sobre regimentos, estabelecimento de participantes e atividades;

5.   Execução das atividades propostas: reuniões, monitoria, gestão administrativa;

6.   Avaliação do projeto e seus resultados (“deu bom, deu ruim?”). E encaminhamentos para projetos futuros relacionados ao projeto finalizado. 

ESTRUTURA BÁSICA DE UM PROJETO: 

1) Introdução –   Falar sobre o Tema e/ou Problema enfrentado pelo Projeto; 

1a) Contexto - Situação social, política e/ou institucional do local e/ou povo pesquisado;

2) Objetivo - O quê?

3) Justificativa - Por quê?

4) Metodologia - Como?

5) Plano de Atividades?

6) Cronograma- Quando?

7) Público - alvo e participantes - Com quem?

8) Local de realização - Onde?

LEMBRANDO que é bom construir “conversas” entre projetos que começam e terminam. Além de estimular a continuidade da proposta recém-finalizada, através de novas propostas interligadas ao tema da proposta anterior. 

E/ ou também criando tarefas coletivas e individuais que dêem conta, mesmo sem recursos financeiros, de manter o que já foi feito anteriormente. 





CLIQUE NA IMAGEM PARA ACESSAR MAIORES CONHECIMENTOS SOBRE A REDENÇÃO NEWS QUE COMPREENDE A ALIANÇA, A REDENÇÃO E TUDO MAIS QUE ESTÁ NA BASE DE CONHECIMENTOS.






NOTA DE RODAPÉ
ACESSE A PÁGINA *TERMOS* E CONHEÇA NOSSA






COMO ELABORAR


 

COMO ELABORAR UM PROJETO SOCIAL PASSO  A PASSO

Criar seu próprio projeto social funciona mais ou menos como a base de um negócio. Há passos essenciais a serem seguidos para que ele saia do papel e funcione de maneira efetiva, gerando os resultados esperados.


1. IDENTIFIQUE SUA MISSÃO ENQUANTO PROJETO

Toda organização precisa definir um objetivo para existir – a sua missão no mundo. Para isso, pense em alguns aspectos que vão ajudar a estruturar melhor a sua instituição.

Já existem projetos semelhantes ao que eu quero executar?
Se sim, de que forma o meu será diferente em sua contribuição para

Uma melhoria da sociedade?
Esses diferenciais serão suficientes para a captação de recursos?

Ele é realmente impactante?
Há público-alvo suficiente que demande a formação desse projeto? Essas pessoas poderão ser facilmente atendidas e acessadas?


2. FAÇA UM PLANEJAMENTO DETALHADO 

Antes de iniciar as atividades, uma organização deve definir de forma clara todas as necessidades do projeto e quais demandas serão atendidas.

Defina, também, quais são os atores envolvidos – tanto executores quanto os que serão beneficiários com as ações, quais são os recursos necessários para sua execução, e objetivos pretendidos.

A estrutura de um planejamento contém, principalmente, as seguintes informações:

Apresentação da organização: dados gerais da entidade, inclusive com histórico de projetos superiores – se houver.

Resumo do Projeto:
Ideias principais.

Contextualização:
Informações de cenário sobre o local onde o projeto será realizado.
Qual a situação econômica e social?
Quais são os dados estatísticos da região?

Justificativa: 
Por que esse projeto deve existir e qual sua importância?

Objetivos:  Gerais e Específicos.
Devem estar relacionados à justificativa e aos resultados esperados.

Público-alvo:
Descrição de quem será atendido pelo projeto.

Quadro de Metas:
Ações e resultados que definem o impacto do projeto e que devem ser correspondentes periodicamente.

Metodologia:
Definição de como as ações serão executadas, bem como tecnologias necessárias e o tipo de monitoramento a ser realizado.

Equipe Executora:
Descrição da equipe responsável pela ação.

Parceiros:
Pessoas ou instituições que apoiam o projeto.

Cronograma:
Definição de datas e prazos de entrega de cada ação.

Orçamento:
Valor necessário para a execução das ações iniciadas.




3. INICIE A CAPTAÇÃO DE RECURSOS 

Com o planejamento pronto, é hora de começar a captar recursos que vão viabilizar a execução de cada projeto.

Há várias formas de conseguir dinheiro para financiar essas ações. Conheça os principais:

Doações: Seu projeto pode contar com o apoio de doadores fixos e esporádicos. A captação pode se dar por meio de campanhas para manutenção ou ações específicas. 

Eventos: Investindo um pequeno valor para estruturar e organizar esse evento, é possível captar recursos de uma forma alegre e divertida. É possível realizar bailes, exposições, bazares, feiras, apresentações artísticas, e torneios. Com o apoio de voluntários, os custos de montagem podem ficar ainda menores e garantir ainda mais doações para seu projeto.

Editais: Graças a leis que garantem benefícios fiscais a empresas que criam com o financiamento de projetos, sua organização também pode participar de editais. É necessário estar atento às publicações e participar daqueles que estão atentos aos seus objetivos, gerais e específicos. Com benefícios para todos os envolvidos, os editais são um excelente meio de obter recurso para seu projeto social e expandir a execução das ações.

Patrocínio: Muitas empresas também obedeceram com os projetos de outra forma – o patrocínio. Geralmente, esse recurso é destinado a uma ação específica e ajuda a divulgar a marca da instituição patrocinadora, ligando seu nome a causas sociais e impactando, positivamente, em sua imagem perante o público.

4. COLOQUE A MÃO NA MASSA 

Com planejamento pronto e bem garantido, objetivos definidos e recursos captados é hora de começar a trabalhar. Divulgue seu projeto, vá aos locais que precisam de apoio e faça tudo com muito amor, responsabilidade e carinho.

A solidariedade é um sentimento realmente transformado e, quando se começa a praticar o bem, todos ficam mais felizes.

Lembre-se de documentar todos os passos e ações para uma organização maior do seu projeto. Ele deve ser levado a sério e sempre com muito profissionalismo.

Conheça um modelo de projeto social que deu certo | Banho Solidário




Com sede na comunidade Pedreira Prado Lopes, em Belo Horizonte, o projeto solidário é voltado para pessoas em situação de rua e usuário de crack.

A proposta é proporcionar um dia de atenção e acolhimento a essas pessoas, mostrando a eles a sua condição de cidadão que têm direito a autonomia e afeto.

Tudo começa com o acolhimento, quando um integrante faz a abordagem inicial. Esse primeiro contato é crucial já que é aí que uma pessoa assistida pode criar ou não um vínculo de confiança com o projeto.

A partir daí, é feito um processo de triagem. Com delicadeza e muito carinho, os integrantes fazem o cadastro da pessoa interessada.

Esse banhista vai tomar um café, servido pela equipe do Banho Solidário e receber cuidados básicos de higiene: banho, corte de cabelo e barba. Cada um recebe um kit de itens pessoais, com shampoo, sabonete, toalha, escova e pasta de dentes.

O encerramento se dá com um almoço. Além da alimentação, é um momento de integração entre equipe e todos os banhistas assistidos.

Com o apoio de casas de tratamento, também é feita uma busca de reinserção no mercado de trabalho, na tentativa de proporcionar um impacto ainda maior na vida dessas pessoas, com uma transformação contínua e de atendimento.

Todo o processo conta com doações e ajuda de muitos voluntários. Para colaborar, visite a página do Banho Solidário e entre em contato.

Conheça outros projetos sociais de sucesso para se inspirar e ver de perto como é possível fazer o bem de maneiras diferentes.

CONHEÇA  MAIS SOBRE PROJETOS

PROJETOS 

COMO ELABORAR 

PROJETO - PROJETAR 

 

Traga seu projeto social para a Redemption Project e receba doações de todo o país

A Redemption Project é uma plataforma que potencialmente doadores e instituições que precisam de recursos.






NOTA DE RODAPÉ
ACESSE A PÁGINA *TERMOS* E CONHEÇA NOSSA






COMPUTADOR NEUROMÓRFICO

  O computador neuromórfico está montado em racks comumente usados em servidores. Intel apresenta maior computador neuromórfico inspirado no...