terça-feira, 30 de abril de 2024

A OPERAÇÃO PRATO

 


A OPERAÇÃO PRATO: UFOLOGIA E MISTÉRIO NA FLORESTA AMAZÔNICA

A Operação Prato é um dos capítulos mais intrigantes da história da ufologia no Brasil e uma das investigações mais notórias do mundo.

Ocorrida na década de 1970, essa operação militar secreta brasileira, revelou uma série de avistamentos inexplicáveis ​​de objetos voadores não identificados (OVNIs) na região da Amazônia, provocando uma onda de mistério e especulação que perdura até os dias de hoje.

Neste artigo, exploraremos em detalhes a Operação Prato, examinando seu contexto histórico, os eventos que a cercam, as evidências coletadas e as teorias que tentarão explicar o ocorrido. 

CONTEXTO HISTÓRICO

A Operação Prato, que ocorreu no período da ditadura militar no Brasil, teve seu início em setembro de 1977 e foi liderada pelo Centro de Informações da Aeronáutica (CISA).

A operação teve como objetivo investigar relatos de avistamentos de OVNIs na região de Colares, no estado do Pará.


OS AVISTAMENTOS DA OPERAÇÃO PRATO

Uma imagem de uma luz em forma de disco em close, com mais 4 imagens menores em pequenos quadros acimas, também mostrando outras formas próximas  um disco de luz no céu noturno.

Os moradores de Colares e áreas circundantes afirmavam estar sendo constantemente visitados por objetos voadores luminosos, que disparavam feixes de luz na direção das pessoas, causando uma variedade de sintomas físicos, como queimaduras e lesões na pele.

Muitos habitantes relatam visões de seres humanoides, criaturas que deixam de lado esses objetos. Os relatos foram consistentes e alarmantes, levando as autoridades a tomar medidas. 


A INVESTIGAÇÃO


Anotações e desenhos de discos-voadores em um relatório oficial do Exército Brasileiro, referindo-se a Operação Prato com o carimbo de "Confidencial".

Anotações e desenhos de discos-voadores em um relatório oficial do Exército Brasileiro, referindo-se a Operação Prato com o carimbo de "Confidencial".

A Operação Prato mobilizou uma equipe de militares e cientistas, incluindo o capitão Uyrangê Bolivar Soares Nogueira de Hollanda Lima, que liderou as investigações no terreno. Equipados com câmeras, radares e outros dispositivos de monitoramento, a equipe documenta centenas de avistamentos, obtendo evidências fotográficas e vídeos de alta qualidade.

As investigações da Operação Prato também incluíram entrevistas com testemunhas e vítimas dos avistamentos, que relataram experiências assustadoras e traumáticas. Os sintomas físicos, como queimaduras, foram atribuídos à ação dos feixes de luz dos OVNIs. 


Foto de 1970 de uma mulher sendo atendida devido a ferimentos dos feixes de luz misteriosos, ligados a Operação Prato.


A CONTROVÉRSIA E O ENCERRAMENTO

Apesar das evidências coletadas, a Operação Prato foi encerrada em 1978 sem uma explicação satisfatória para as ocorrências encontradas. Alguns alegaram que o governo brasileiro estava preocupado com a publicidade negativa que os relatos poderiam criar, enquanto outros acreditam que as informações sobre a investigação foram classificadas como secretas.


TEORIAS E ESPECULAÇÕES

Desde o encerramento da Operação Prato, muitas teorias foram propostas para explicar os acontecimentos em Colares. Algumas pessoas sugerem que as ocorrências eram simplesmente acontecimentos naturais mal compreendidos, como luzes atmosféricas ou características meteorológicas. Outros sustentam que se tratava de tecnologia militar secreta ou o mais provável dentro deste espectro, a chegada de visitantes extraterrestres. 


UYRANGÊ BOLIVAR SOARES NOGUEIRA DE HOLLANDA LIMA: O LÍDER DA INVESTIGAÇÃO

Foto de Uyrangê Bolivar Soares Nogueira de Hollanda, militar líder da Operação Prato, de óculos, olhando para a cãmera, enquanto tiram sua foto.

Uyrangê Bolivar Soares Nogueira de Hollanda Lima, conhecido simplesmente como Capitão Uyrangê, desempenhou um papel crucial na condução da Operação Prato. Seu nome tornou-se intrinsecamente ligado à investigação dos avistamentos de OVNIs em Colares, e sua atuação levanta diversas questões e teorias em torno de sua figura.


A BIOGRAFIA DE UYRANGÊ BOLIVAR SOARES NOGUEIRA DE HOLLANDA LIMA

Uyrangê Bolívar nasceu em 29 de janeiro de 1930, em Manaus, Amazonas. Sua carreira militar na Aeronáutica o levou a ocupar o cargo de capitão e, eventualmente, a liderar uma equipe que investigou as características dos fenômenos em Colares. Sua abordagem meticulosa e a seriedade com que comandou a operação são frequentemente elogiadas, mesmo por aqueles que são céticos em relação aos avistamentos de OVNIs.


TEORIAS SOBRE A MORTE DE UYRANGÊ BOLIVAR

A morte do Capitão Uyrangê, em 1997, deu origem a várias teorias e especulações. Alguns acreditam que sua morte prematura foi resultado de uma conspiração para encobrir informações relacionadas à Operação Prato. Essas teorias sustentam que Uyrangê Bolívar teria conhecimento de informações detalhadas e que sua morte foi orquestrada para silenciá-lo. 

Conforme relatado, em 1997, duas décadas após a operação, o Capitão Uyrangê concedeu entrevista aos ufólogos Ademar José Gevaerd e Marco Antônio Petit onde contou suas experiências de convivência ao lado de seus homens.

Três meses após a entrevista, ele foi encontrado morto em sua casa "após aparentemente se enforcar com o cinto do roupão", o que no mínimo parece estranho.


O LEGADO DE UYRANGÊ BOLIVAR

Independentemente das teorias que cercam sua morte, o Capitão Uyrangê deixou um legado duradouro no campo da ufologia no Brasil. Sua determinação em investigar os avistamentos de OVNIs em Colares e sua disposição em enfrentar o desconhecido são lembradas por muitos como um exemplo de dedicação à busca da verdade.

Na última análise, a Operação Prato e a figura de Uyrangê Bolivar Soares Nogueira de Hollanda Lima continuam a alimentar o interesse em OVNIs, a ufologia e o mistério que envolve a região amazônica. 

À medida que mais informações vêm à tona ao longo do tempo, a história desses eventos permanece como um convite à reflexão e à investigação constante, à medida que continuamos a explorar os mistérios do cosmos e as perguntas não respondidas que ele apresenta.


FONTE:

A OPERAÇÃO PRATO







REPLICADORES TRANSFORMANDO ENERGIA

 


REPLICADORES: TRANSFORMANDO ENERGIA EM REALIDADE

Os replicadores são uma tecnologia surpreendente que já existe, mas foi mantida em segredo por muito tempo da humanidade. Isso teria sido motivado pela necessidade de controle por parte de certos grupos influentes, a chamada Elite Globalista. No entanto, o objetivo deste artigo é esclarecer e compartilhar informações, preparando-nos para a próxima era da humanidade.


UMA TECNOLOGIA ESSENCIAL PARA A NOVA ERA

Nossa jornada começa com a revelação de que estamos em meio a uma transição planetária em direção à Quinta Dimensão, e é nesse contexto que as tecnologias dos replicadores se destacam.

Em breve os replicadores e outras tecnologias semelhantes, serão fundamentais para a civilização humana nessa nova era. Embora os replicadores possam parecer algo saído de ficção científica, eles são uma realidade e servirão um papel crucial em nossas vidas.


A ESSENCIA DOS REPLICADORES

Continuando nossa exploração sobre os replicadores, embarcamos em uma jornada pela história moderna e pelas aplicações revolucionárias dessa tecnologia. Vejamos alguns avanços impressionantes que os replicadores prometem trazer para diversos setores da sociedade. 


A LUTA PELA MANUTENÇÃO DO MERCADO DE TRANSPLANTES 

Os números não deixam dúvidas: o mercado de transplantes é gigantesco e altamente lucrativo. No entanto, essa realidade é controlada por certos interesses, dificultando a introdução de tecnologias disruptivas, como os replicadores.  Basta ver a quantidade de pessoas aguardando transplantes, revelando uma situação complexa e alarmante.


REPLICADORES NA ALIMENTAÇÃO: IMPRESSÃO DE CARNE

Já em relação a alimentação, os replicadores seriam uma ótima opção ao poder efetuar a impressão de alimentos, especificamente a impressão de carne. Existe uma empresa que está se empenhando para se tornar a maior fornecedora de carne do mundo através da tecnologia de impressão. Essa tecnologia permite multiplicar células de animais e produzir carne em laboratório.

A capacidade de imprimir carne de maneira eficiente e sustentável é apresentada como uma inovação notável. Essa tecnologia poderia revolucionar a indústria alimentícia, com dependência da criação tradicional de animais e impacto ambiental associado.

A ideia de imprimir alimentos evoca reflexões sobre o impacto que essa tecnologia teria em nosso cotidiano. As impressoras de alimentos poderiam transformar a maneira como obtemos e consumimos nossas refeições. Tal tecnologia já existe há algum tempo, mas nem sempre é divulgada de maneira ampla. 

NOVAS FRONTEIRAS DA IMPRESSÃO 3D 


Protótipo De Impressora 3D Com Uma Mão Sintética Impressa Em Seu Centro

Os replicadores são uma inovação surpreendente surge na forma de uma impressora 3D que usa resina sensível à luz para criar objetos. Esse método permite a impressão de materiais mais flexíveis e até a incorporação de partes metálicas em objetos impressos. Essa tecnologia já demonstrou como a impressão 3D está evoluindo e se tornando mais universal.

Os replicadores modernos, que vão além da impressora 3D, eliminam a necessidade de estocar suprimentos e são capazes de recriar objetos físicos a partir de dados armazenados.


REVOLUÇÃO NA ECONOMIA E NA SOCIEDADE

Os replicadores têm o potencial de transformar a sociedade como um todo. Claro, eles afetariam a indústria e setores diversos, desde a logística até os sistemas financeiros, já que a produção e a obtenção de bens seriam radicalmente transformadas.

A economia atual baseada em concorrência daria lugar a uma nova abordagem, na qual a produção seria amplamente democratizada e as necessidades básicas atendidas sem restrições impostas pelo dinheiro. A visão é de um mundo onde a tecnologia de replicação eliminará a necessidade de longas jornadas de trabalho, permitindo que as pessoas se dediquem mais a atividades de valor intrínseco. 


UM OLHAR SOBRE A NOVA TERRA

Na Nova Terra da Quinta Dimensão, a tecnologia dos replicadores cumpriria um papel fundamental em sustentar uma sociedade mais colaborativa e centrada na comunidade. Seria uma visão de trabalho humano focada no bem-estar social, com atividades que proporcionam lazer, cultura e criatividade, enquanto as necessidades básicas são atendidas de forma eficiente.


REPLICADORES: AMPLIANDO POSSIBILIDADES 


Parte do seriado Star Trek onde um personagem aguarda, enquanto um replicador cria um jarro de água.

Existem ainda muitas possibilidades a serem exploradas e ampliadas pelos replicadores, indo além da produção de alimentos e bens materiais. A tecnologia teria um papel vital na criação de centros de exposição e cultura, além de outras aplicações


Ao explorarmos os replicadores e sua promessa de transformação radical, mergulhamos em uma jornada que abrangeu a tecnologia, suas aplicações inovadoras e as ciências espirituais e sociais que ela traz consigo. 


Testemunhamos assim a evolução dessa tecnologia disruptiva e como ela pode moldar o futuro da sociedade enquanto nos preparamos para a transição iminente para a Nova Era. 


💡QUEM APRENDE, NÃO DEPENDE!!💡


FONTE:

REPLICADORES







segunda-feira, 29 de abril de 2024

JIM CAVIEZEL EM SOUND OF FREEDOM

 


Dia 4 de julho estreia Sound of Freedom, um filme de drama de ação norte-americano escrito e dirigido por Alejandro Monteverde.É estrelado por Jim Caviezel, Mira Sorvino e Bill Camp.  (Obs: estreou ano passado)

Na trama, Caviezel interpreta Tim Ballard, um ex-agente do governo que se tornou vigilante e embarca em uma perigosa missão para resgatar crianças de traficantes sexuais na Colômbia. 

Antes que você pergunte por que estou fazendo um artigo sobre isso, é preciso que saiba que há vários pontos interessantes sobre este filme. 

Só para começar, Jim Caviezel hoje é uma das estrelas que foi cancelada por Hollywood, por ter feito Jesus em "A Paixão de Cristo", dirigido por Mel Gibson, outro ator também cancelado pela indústria norte-americana do cinema. Tudo porque os dois são conservadores, cristãos e defensores da pátria e da família. 

Outro ponto controverso, é o personagem que Jim Caviezel interpreta, Tim Balard. O ex-agente que entrou em uma jornada por conta, para resgatar crianças submetidas ao tráfico sexual na Colômbia, é real. Ou seja, a história tem como base fatos e alguém que realmente existe.

Sem contar a parte mais controversa de todas. A droga chamada Adrenocromo, que muitos acham ser apenas mais uma teoria da conspiração, mas sobre a qual o próprio Jim Caviezel fala abertamente em uma entrevista sobre o filme.

Para que possa entender tudo, eu, Leonardo Born, escritor de ficção, mistério e adepto da teoria da conspiração, peço que me acompanhe durante este artigo.


SINOPSE DO FILME SOUND OF FREEDOM

Antes de qualquer coisa, vamos entender a história do filme. E nada melhor para isso do que saber a sinopse.

“Tim Ballard, um ex-agente, deixa seu emprego como agente especial da Homeland Security Investigations (HSI) para se tornar um vigilante e embarca em uma perigosa missão para resgatar crianças de cartéis e traficantes de pessoas na América Latina.” 

Aparentemente parece uma trama simples de mais um filme qualquer. Não fosse a polêmica que existe em torno de TIM Balard, que é uma pessoa real e quem o interpreta no filme: Jim Caviezel.


Para entender toda essa polêmica, vamos primeiro conhecer quem é Tim Balard.


AFINAL, QUEM É TIM BALARD?



Foto em plano americano do ex-agente do governo americano, Tim Ballard.

Timothy Ballard é o fundador e CEO da Operation Underground Railroad (OUR). Ele também atua como comandante da equipe de salto da OUR para operações de resgate. Ballard começou sua carreira na Agência Central de Inteligência a CIA, onde trabalhou em casos relacionados ao terrorismo e à América Latina. 

Ele passou mais de uma década trabalhando como agente especial do Departamento de Segurança Interna, onde foi designado para a Força-Tarefa de Crimes na Internet contra Crianças e destacado como agente secreto para a Equipe de Salto de Turismo Sexual Infantil dos EUA. Trabalhou em todos os tipos de casos imagináveis ​​na luta para desmantelar redes de tráfico de crianças.

Ballard trabalhou disfarçado nos Estados Unidos e em vários países estrangeiros para se infiltrar em organizações de tráfico de crianças. É um especialista em gerenciar investigações na Internet, especialmente aquelas que lidam com redes de compartilhamento de arquivos onde pedófilos e traficantes vão para o comércio de pornografia infantil. Também treinou centenas de policiais no país e no exterior nas melhores práticas para libertar crianças da escravidão sexual.

Tim Ballard, mesmo depois de desligado dos órgãos governamentais, fundou a Operation Underground Railroad (OUR), para justamente em conjunto com organizações de diversos governos, continuar a luta contra o tráfico sexual de crianças. 

A OUR é uma organização independente que em conjunto com organizações governamentais, tem como missão, lutar contra o tráfico sexual infantil e a exploração sexual em todo o mundo. 

Seus membros vão aos cantos mais sombrios do mundo, para ajudar as autoridades a resgatar crianças e garantir cuidados posteriores contínuos. Sempre fornecendo recursos essenciais para aplicação da lei e esforços preventivos que beneficiam crianças em situação de risco em todo o mundo. 

Enquanto trabalhava para o governo, Ballard viu o quanto mais é necessário na luta contra o tráfico e exploração infantil em todo o mundo. Foi quando, em 2013, ele e uma equipe de ex-funcionários do governo, deixaram a segurança de suas carreiras para realizar o trabalho de resgate de crianças como uma fundação privada - Operation Underground Railroad. 

Na OUR, Tim criou uma equipe que pode trabalhar em qualquer jurisdição e em conjunto com a aplicação da lei para resgatar crianças diretamente. Essa equipe existe hoje e opera em todo o mundo. 

PORQUE JIM CAVIEZEL?


Foto de busto de Jim Caviezel, vestindo roupas militares de selva, com barba e cabelo loiro.

Jim Caviezel é cristão, defensor da pátria e da família. E o mais importante: não se rendeu a podridão de Hollywood, como a maioria dos atores que vemos sempre em alta. Jim trabalha com propósito e usa sua habilidade como ator em prol do bem.

Muitos dizem que tanto Jim Caviezel, como Mel Gibson entre outros como, Cris Pratt e até o diretor Christopher Nolan, são Chapéus Brancos. Os Chapéus Brancos seria um grupo de pessoas, infiltradas em diversas grandes instituições privadas e de governos, que tem como objetivo, não só servir de informante, como desbaratar e criar ações voltadas para o bem comum, lutando contra o domínio oculto dos Globalistas ou Estado Profundo. 

Esses Chapéus brancos, trabalham para a Aliança da Terra, uma organização conjunta de diversos governos, que tem como objetivo a derrubada do sistema imposto às massas, por uma classe elitista composta por 13 famílias que detém a maior parte das riquezas do planeta, tendo assim o comando de diversos governos espalhados pelo mundo. 

Só esse seriam bons motivos para fazer parte deste filme que revela o que centenas de milhares de militares têm feito em todo o mundo. Resgatar crianças dos inúmeros túneis escondidos em diversas partes do planeta. A chamada Operação Storm.

Mas o motivo mesmo para ser Jim Caviezel o agente Tim Ballard foi o seguinte: 


Jim Cavizel em close de rosto, no papel de Jesus Cristo, com um manto sobre a cabeça, com cabelos e barba comprida

Tim Ballard solicitou pessoalmente que Jim Caviezel o retratasse no filme; os produtores ficaram surpresos com o pedido e tentaram convencê-lo a escolher um ator que mais se parecesse com ele. No entanto, Ballard foi firme, dizendo que foi afetado pelos papéis de Caviezel em A Paixão de Cristo e O Conde de Monte Cristo.

Caviezel, antes das filmagens do filme, passou vários dias acompanhando Tim Ballard e aprendendo sobre as operações da Operation Underground Railroad. Ele conta que conseguiu ir à América Latina e presenciar uma operação comandada pelo próprio Ballard. 

Jim Caviezel afirmou que este foi o segundo filme mais importante que ele já fez. Ele classifica isso por trás de seu papel como Jesus Cristo em 2004, A Paixão de Cristo.

Jim Caviezel fala sobre o Adrenocromo 

VÍDEO

https://www.facebook.com/watch/?v=7147883528561807


Jim Caviezel em uma entrevista ao falar sobre Sound of Freedom, fez críticas e denunciou a grande mídia por tentar encobrir a verdade sobre o adrenocromo e a extração de órgãos de crianças.

Jim disse que as tentativas dessa mídia de  tentar regular uma verificação de fatos , que todos sabem, abonam apenas um lado e de silenciar aqueles que desejam falar a verdade sobre o mal, não podem ser ignoradas.

“Eu estava disposto a me apresentar e falar com sinceridade sobre coisas como adrenocromo, extração de órgãos e fui severamente repreendido por grande parte da mídia e eles afirmam que seus verificadores de fatos sabiam mais. Mas eles não sabem como você sabe. Eu não estava mais sobrecarregado. Minha carreira, eu nunca colocaria na frente das crianças. 

Assistam ao filme Sound of Freedom, que representa  sua palavra contra esses mentirosos (a grande mídia). Fale a verdade para o povo americano.

A verdade está começando a brilhar. O mundo precisa despertar para os crimes cometidos contra nossos filhos por aqueles que estão no poder. As crianças devem ser salvas.” 

Veja o vídeo: 

https://www.facebook.com/watch/?v=7147883528561807


MAIS SOBRE SOUND OF FREEDOM


Jim Caviziel de perfil com parte do rosto oculto, em um fundo preto e no meio da imagem uma janela com luz com a silhueta de menina.

Sound of Freedom foi dirigido por Alejandro Monteverde e produzido por Eduardo Verástegui, que conheceu Ballard e se sentiu chamado a fazer o filme para aumentar a conscientização sobre a indústria do tráfico sexual. 

Verástegui, que começou sua carreira como modelo, diz ter respondido a um chamado quando se tornou cristão. Foi quando diz ter entendido que não havia nascido para ser um ator ou qualquer outra coisa, mas para conhecer, amar e servir Jesus Cristo.

Diante disso, resolveu vender todos os seus bens, e decidiu ir para o Brasil, trabalhar como um missionário na Floresta Amazônica. Foi quando o padre Juan Rivas, o fez  ver que se ele queria realmente fazer a diferença, deveria é ficar em Hollywood, porque Cristo era ainda mais necessário ali, do que na selva. 

Assim, Eduardo Verastegui criou com Leo Severino, a produtora Metanoia Filmes para fazer filmes a serviço da esperança e da dignidade humana.

A história de Eduardo Verastegui entra em rota de colisão com o tema,  quando conheceu Ballard e se sentiu chamado a fazer o filme para aumentar a conscientização sobre a indústria do tráfico sexual. 

Como disse no começo, o lançamento de Sound of Freedom está previsto para 4 de julho, Dia da Independência dos Estados Unidos. Isso depois depois de vários percalços e intervenções que visavam não só adiar como sabotar , que o filme viesse às telas.

Sound of Freedom é um filme que desponta fora dos estúdios de Hollywood, pois de certa forma, ao falar sobre o tráfico sexual de crianças, atinge em cheio a podridão que assola o meio. Não só artistas, como diretores e muito mais, são em sua maioria pedófilos clientes da exploração do tráfico dessas crianças, além de as utilizarem para ter a “milagrosa” droga do rejuvenescimento: o Adrenocromo.

Tanto que o filme tem sua distribuição pelo Angel Studio, o mesmo da série The Chosen, que conta a vida de Jesus Cristo e seus apóstolos pela visão do diretor Dallas Jenkins.

Agora nos resta esperar o filme chegar aqui no Brasil para assisti-lo e ter mais uma fonte de informação, para entender como funciona essa realidade tão terrível que mexe com aquilo que temos de mais precioso: nossas crianças. 


FONTE: JIM CAVIEZEL







domingo, 28 de abril de 2024

O CONTROLE MENTAL MONARCA

 


UMA EXPLORAÇÃO DAS TEORIAS E CONTROVÉRSIAS


Uma borboleta Monarca pousada em uma parede repleto de máscaras de bonecas femininas esculpidas em pedra

O Controle Mental Monarca é um tópico controverso e altamente debatido que tem circulado nas esferas da teoria da conspiração e da cultura popular por décadas. 

Alegações de programação mental, manipulação de indivíduos e até mesmo o envolvimento de celebridades e figuras públicas geraram um debate intenso em todo o mundo. 

Neste artigo, exploraremos o que é o Controle Mental Monarca, suas origens, teorias e as controvérsias que o cercam.


ORIGENS DO CONTROLE MENTAL MONARCA 

O termo "Controle Mental Monarca" tem suas raízes na literatura sobre teorias da conspiração, especialmente nos Estados Unidos. 

Alega-se que o programa de Controle Mental Monarca teve início durante o Projeto MKUltra da CIA, que foi uma série de experimentos de controle mental realizados durante a Guerra Fria.

Embora existam documentos desclassificados que confirmam a existência do Projeto MKUltra, a extensão dos experimentos e as declarações de programação de personalidade ainda são altamente debatidas.


TEORIAS DO CONTROLE MENTAL MONARCA

As teorias do Controle Mental Monarca afirmam que os indivíduos, muitas vezes desde a infância, são submetidos a técnicas de controle mental que os tornam sujeitos a comandos e programações de personalidade. Estas teorias incluem: 

TRAUMA E DISSOCIAÇÃO

A alegação central é que as vítimas são submetidas a traumas extremos para induzir a dissociação, um mecanismo de defesa psicológica, tornando-o mais suscetível à manipulação mental.


PROGRAMAÇÃO DE PERSONALIDADE

Diz-se que os controladores podem criar personalidades alternativas em suas vítimas, cada uma respondendo a comandos específicos, ou que permite um controle total sobre o indivíduo.


CONTROLE POR PALAVRA-CHAVE

As teorias sugerem que frases ou palavras-chave podem ser usadas para ativar essas personalidades programadas e fazer com que a vítima realize ações específicas.


CELEBRIDADES E FIGURAS PÚBLICAS 


Imagem mosaico com diversas celebridades de Hollywood como Britney Spears, Beyonce, entre outras, supostamente associadas a programação Monarca, com símbolo da Walt Disney no centro.

Algumas teorias afirmam que celebridades e figuras públicas podem estar envolvidas no Controle Mental Monarca, sendo controladas por agências governamentais ou grupos secretos.


SUPOSTAS CELEBRIDADES QUE FARIAM PARTE DO CONTROLE MENTAL MONARCA

Alguns Exemplos de Pessoas Que Foram Associadas a Essas Teorias Incluem:

Britney Spears: A cantora pop foi objeto de especulações sobre seu suposto envolvimento em programas de controle mental devido ao seu comportamento e às controvérsias em torno de sua tutela legal. 

Miley Cyrus: Outra celebridade do mundo da música, Miley Cyrus, também foi mencionada em teorias de conspiração relacionadas ao Controle Mental Monarca, com denúncias de que ela teria sido uma vítima de programação de personalidade.

Kanye West: O rapper Kanye West foi associado a teorias da conspiração devido a seu comportamento errático e declarações polêmicas. Alguns teóricos da conspiração alegaram que ele poderia ser um exemplo de alguém sob controle mental.

Beyoncé: Beyoncé, uma das artistas mais renomadas do mundo, também foi alvo de especulações relacionadas ao Controle Mental Monarca em algumas teorias da conspiração. 


CONTROVÉRSIAS E CRÍTICAS 

Os críticos argumentam que muitas das histórias são baseadas em testemunhos não verificáveis ​​e que as vítimas de tais abusos não apresentam evidências concretas.

Alguns especialistas em psicologia e psiquiatria questionam a validade das teorias de programação de personalidade, argumentando que não há evidências científicas que as sustentem.

A dissociação e o transtorno dissociativo de identidade (anteriormente conhecido como transtorno de personalidade múltipla) são temas complexos e controversos por si só, na verdade.


TEORIA OU REALIDADE?

O Controle Mental Monarca ganhou destaque na cultura popular, mas ainda carece de evidências sólidas para sustentar suas alegações. Embora seja importante manter a mente aberta para investigações de graves abusos reais e crimes contra a humanidade, é fundamental abordar essas questões com ceticismo e basear nossas conclusões em fatos verificáveis.

No final, o Controle Mental Monarca permanece envolto em mistério e controvérsia, e sua veracidade continua sendo um assunto altamente debatido no cenário da teoria da conspiração. 


FONTE:

CONTROLE MENTAL MONARCA







PROJETO BLUE BEAM

 


PROJETO BLUE BEAM: SERIA MESMO SOMENTE UMA TEORIA DA CONSPIRAÇÃO?

O Projeto Blue Beam é uma das teorias da conspiração mais interessantes e controversas da era moderna. 

Com raízes profundas na cultura popular e na internet, essa teoria alega que governos ou organizações poderosas estão planejando uma farsa global em escala nunca antes vista. Seria mesmo somente uma teoria conspiratória?

Neste artigo, exploraremos o Projeto Blue Beam, suas origens, principais alegações e a análise crítica por trás dessa teoria tão debatida.


ORIGENS DO PROJETO BLUE BEAM 


Silhueta de um Homem Vitruviano, com um globo terrestre feito de zeros e um, com  um fundo do espaço sideral por trás. 

As primeiras vezes que se ouviu falar sobre o Projeto Blue Beam, foi no início da década de 1990, quando o jornalista canadense Serge Monast o apresentou ao público pela primeira vez. Ele alegou ter descoberto um plano secreto de falsificação de uma segunda vinda de Jesus Cristo por meio de projeções holográficas avançadas, utilizando tecnologias sigilosas.

De acordo com Monast, o objetivo do Projeto Blue Beam era estabelecer uma nova ordem mundial através da manipulação em massa da consciência humana. O plano envolvia quatro etapas distintas, cada uma projetada para controlar e enganar a população global de maneira sem precedentes.


AS QUATRO ETAPAS DO PROJETO BLUE BEAM

TERREMOTOS SIMULADOS E DESASTRES NATURAIS

A primeira etapa envolveria a criação de terremotos simulados e outros eventos naturais em pontos estratégicos ao redor do mundo. Esses desastres seriam produzidos por meio de tecnologias secretas para causar pânico e medo na sociedade. 

Algo que podemos ver recentemente na Turquia, assim como em outro lugares do mundo. Segundo opiniões o que ocorreu na Turquia foi uma resposta da Nova Ordem Mundial, devido ao fato da Turquia não concordar em ajudar a OTAN na batalha entre Rússia e Ucrânia e se aproximar mais do BRICS e da própria Rússia. Isso teria culminado em uma série de terremotos na Turquia, o que dizem muitos, ter sido causado por uma tecnologia militar chamada HAARP.

APARIÇÕES HOLOGRÁFICAS NO CÉU

Na segunda fase, o Projeto Blue Beam supostamente usaria projeções holográficas avançadas para criar a ilusão de figuras religiosas em larga escala, como Jesus Cristo, Maomé ou Buda, aparecendo nos céus de várias regiões. O objetivo seria influenciar e unificar as crenças religiosas em uma religião global única, preparando o terreno para o próximo passo. 

COMUNICAÇÃO TELEPÁTICA COM ESSAS APARIÇÕES

A terceira etapa implicaria em uma comunicação telepática entre as projeções holográficas e as pessoas em todo o mundo. Essa interação aparentemente divina, levaria muitas pessoas a acreditar que estavam testemunhando eventos milagrosos e se converteriam a essa nova religião global.


SIMULAÇÃO DE UMA INVASÃO EXTRATERRESTRE

A quarta e última fase envolveria uma simulação de uma invasão alienígena em grande escala. Supostamente, tecnologias de controle mental seriam utilizadas para fazer com que a população acreditasse na chegada de seres extraterrestres hostis, unificando a humanidade sob uma liderança mundial comum. 

Um exemplo da possibilidade dessas aparições holográficas, foram alguns avisos por parte de agências militares dos EUA recentemente, sobre o avistamento de Óvnis/ UAPs. Sim, existem avistamentos reais, mas alguns, principalmente aqueles que foram informados este ano (2023) por órgãos governamentais, talvez sejam esses hologramas.


TENTATIVAS PARA DESACREDITAR O PROJETO BLUE BEAM 

Desde a divulgação do Projeto Blue Beam por Serge Monast, muitos especialistas, cientistas e céticos têm se manifestado contra o que chamam de teoria da conspiração. A falta de provas concretas, a ausência de fontes confiáveis e a natureza aparentemente fantasiosa das alegações são os principais pontos de contestação.

Críticos argumentam que a teoria é baseada em especulações e não tem sustentação nos princípios da ciência. Também apontam para as inconsistências lógicas nas alegações de Monast, incluindo a própria falta de evidências de suas fontes secretas.

Em contraponto, vemos hoje com o avanço da tecnologia, que tal simulação holográfica seria sim possível. Aliás, já existem provas de como uma holografia hoje pode parecer tão real quanto você e eu. A China tem utilizado tal ferramenta tanto nas ruas do país, como também em shows e apresentações. Assim como os EUA também.

Outro exemplo é um aplicativo desenvolvido onde como é mostrado no vídeo abaixo, o demonstrador tira uma foto do homem ao seu lado e coloca o rosto do mesmo no de um jogador de basquete, fazendo passes e uma cesta incrível em um vídeo de um jogo. 


TEORIA DA CONSPIRAÇÃO?

O Projeto Blue Beam para a grande mídia e órgãos governamentais continua sendo apenas mais uma teoria da conspiração, pois não é do interesse deles e da elite mundial que a população saiba a verdade. Mesmo assim, é uma das teorias mais discutidas e debatidas na internet. Embora tenha ganhado popularidade.

Em última análise, o Projeto Blue Beam permanece como uma história intrigante e inquietante para muitos. Claro que devido ao controle exercido pelo Sistema da Nova Ordem Mundial, no momento, não existem provas sólidas para sustentar suas alegações.

À medida que navegamos em um mundo repleto de informações e desinformação, é fundamental manter um olhar crítico e discernimento diante do que nos é exposto. Mas isso é uma via de mão dupla. Também não há nada que prove sua inexistência. Apenas a palavra daqueles que controlam os meios de comunicação e querem nos impor apenas um único olhar sobre o assunto.


FONTE:

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO









sábado, 27 de abril de 2024

PROJETO MAJESTIC 12

 


UMA ORGANIZAÇÃO SECRETA QUE INVESTIGA OVNIS

Majestic 12, muitas vezes abreviado como MJ-12, é o nome de uma organização secreta estabelecida pelo presidente americano Truman. 

Seu objetivo principal era supervisionar as investigações de OVNIs e extraterrestres, mantendo o máximo sigilo nesses domínios. Muitos especulam que chegaram ao ponto de recorrer a medidas letais para proteger os seus interesses.

Acredita-se que a iniciativa MJ-12 tenha sido um empreendimento altamente confidencial iniciado sob a administração do presidente Harry Truman (1945-1953). 

Na sequência do incidente de Roswell em Setembro de 1947, poucos meses após o acontecimento, o Departamento de Defesa teria reunido uma comissão composta por figuras influentes dos círculos de inteligência, científicos e militares. 


MAJESTIC12 E O CASO DE ROSWELL

Este grupo de doze foi encarregado de compilar um relato exaustivo da queda do Novo México e do avistamento do OVNI, com o mandato de ocultar esta informação para evitar o pânico. 

Conjecturas conspiratórias propõem que o grupo MJ-12 possa ter-se envolvido num pacto clandestino com seres extraterrestres, permitindo-lhes acesso irrestrito à Terra para investigação biológica em troca de armamento avançado para ajudar os Estados Unidos.

Surge um aspecto intrigante: se esta organização está de facto envolta no maior segredo, como conseguiu captar a atenção do público através de representações na televisão e nos meios de comunicação social?

A resposta a esta questão é delicada, pois a maioria das referências às origens destes documentos apontam para um produtor de televisão que, em 1984, teria recebido um pacote enigmático contendo um rolo de filme. 


SOBRE JAIME SHANDERA

As imagens contidas revelaram documentos confidenciais do MJ-12, incluindo detalhes sobre sua pesquisa e a recuperação de uma espaçonave acidentada com corpos extraterrestres.

Em dezembro de 1984, Jaime Shandera, produtor de filmes de Hollywood e entusiasta de OVNIs, recebeu pelo correio um pacote sem identificação. Dentro havia um rolo não revelado de filme preto e branco de 35 mm. 

O pacote chegou sem qualquer carta de acompanhamento ou informação do remetente, exceto por um selo postal que indicava sua origem: Novo México.

No entanto, uma faceta menos discutida e obscura que muitas vezes passa despercebida ou obscurecida é o fato de que a primeira menção ao MJ-12 apareceu em um documento atribuído a Richard Doty, um ex-agente especial da Força Aérea dos Estados Unidos, supostamente elaborado como desinformação.

Doty afirma ter fornecido este documento aos ufólogos durante seu mandato no AFOSI (Escritório de Investigações Especiais da Força Aérea), aparentemente a pedido de seus superiores. Ele afirma que este foi apenas um episódio de uma campanha que durou vários anos.

Ao revelar o filme, Shandera descobriu que ele continha negativos aparentemente representando um relatório datado de 18 de novembro de 1952, dirigido ao presidente eleito Dwight D. Eisenhower. 

O documento trazia um aviso inicial: "Este é um documento ALTAMENTE SECRETO - APENAS PARA OS SEUS OLHOS, contendo informações confidenciais essenciais para a segurança nacional dos Estados Unidos." 


OS DOCUMENTOS TOP SECRET

Pasta com o carimbo "Top Secret" e uma foto antiga em preto e branco de um disco voador sobrevoando um deserto.

As páginas seguintes apresentavam uma lista de doze cientistas, líderes militares e consultores de informação influentes dos Estados Unidos. Só na terceira página é que o tema do documento se tornou evidente: a recuperação de um disco voador acidentado e de corpos extraterrestres perto de Roswell, Novo México, em julho de 1947.

A página final continha um memorando do presidente Harry Truman ao secretário de Defesa James Forrestal, datado de 24 de setembro de 1947. Nele, Truman emitiu diretrizes para iniciar a "Operação Majestic-12", mas sem revelar qualquer indicação de sua natureza. 


REVELAÇÕES SURPREENDENTES

Individualmente, este memorando parecia intrigante, mas quando considerado juntamente com o relatório de 1952, a narrativa começou a tomar forma: em Julho de 1947, uma “aeronave em forma de disco” despedaçou-se perto de Roswell, e o pessoal militar descobriu “entidades biológicas extraterrestres”.

Quando o presidente Truman foi informado sobre o incidente, autorizou o ministro da Defesa, Forrestal, a estabelecer um comitê para tratar do assunto.

Após a eleição presidencial de Eisenhower em 1952, ele teria sido informado sobre a Operação Majestic-12. O relatório continha uma lista dos doze membros do comitê e um relato detalhado do acidente.

O parágrafo final enfatizou o imperativo de “evitar, a todo custo, a propagação do pânico”, confirmando a ocultação da verdade pelo governo sobre os OVNIs. No entanto, a questão crítica persiste: estes documentos são genuínos?

Em 1980, durante sua pesquisa para um filme relacionado a OVNIs, o produtor cinematográfico Jaime Shandera estabeleceu contatos nos círculos militares. É possível que alguns desses indivíduos bem informados tenham vazado os documentos do Majestic-12 para ele?

As análises indicam que um memorando MJ-12 foi impresso em papel de casca de cebola, comumente usado pelo governo dos EUA entre 1953 e 1970. Conhecido na ufologia como o "documento Cutler-Twining", foi descoberto nos Arquivos Nacionais depois que Bill Moore recebeu um cartão postal revelando sua localização. 


A BUSCA PELA VERDADE

Em BUSCA da VERDADE... As opiniões entre os ufólogos divergem. Dentro do campo “pró-Majestic” estão pesquisadores como o físico nuclear Stanton T. Friedman, que dedicou mais de uma década ao assunto, e os ufólogos Bill Moore e Jaime Shandera. 

Para aumentar o mistério que envolve o Majestic-12 (também conhecido como MJ2 ou MAJIC), pacotes adicionais chegaram às caixas de correio dos pesquisadores nos últimos anos. O pacote inicial foi um cartão postal enviado a Bill Moore em 1985. 

Enviado da Nova Zelândia, aconselhava Moore a pesquisar arquivos recém-arquivados nos Arquivos Nacionais dos EUA. Moore e Shandera embarcaram na busca, descobrindo um memorando confirmando a existência do MJ12, de autoria de Robert Cutler, Assistente Especial de Segurança Nacional de Eisenhower, e endereçado a Nathan Twining, Chefe do Estado-Maior da Força Aérea dos Estados Unidos.

Entre 1992 e 1996, outro ufólogo recebeu diversos documentos relacionados ao MJ-12, posteriormente compartilhados com Friedman. Dois desses documentos foram confirmados como genuínos.

A primeira foi uma breve ordem dirigida ao General Nathan Twining (um suposto membro do MJ-12), referente às suas atividades durante sua viagem de julho de 1947 ao Novo México, local da suposta queda do OVNI.

O segundo documento foi um memorando para o presidente Truman, ditado pelo secretário de Estado George C. Marshall e dirigido ao vice-secretário. Embora o MJ-12 não tenha sido mencionado diretamente, o cabeçalho dizia: “NUJIC EO 092447 MJ-12”.

Na época do incidente de Roswell, Eisenhower servia como Chefe do Estado-Maior do Exército. Os críticos argumentam que, quando assumiu a presidência, já estava ciente do incidente e não precisava ler nenhum relatório. 


AS ATUALIZAÇÕES SOBRE OS MAJESTIC 12

Uma mão segurando uma foto antiga com 12 homens de terno sentados em uma mesa em um restaurante. Provavelmente os Majestic !2.


AS ÚLTIMAS EVIDÊNCIAS 

O documento mais sensacional do MJ-12 chegou por correio em 1994, enviado a Don Berliner, um veterano ufólogo e escritor científico. O filme anônimo continha vinte e três páginas de um “Manual de Operações do Grupo de Estudos Especiais Majestic-12”, datado de abril de 1954. Esse intrincado conjunto de instruções era intitulado: “Entidades Extraterrestres e Tecnologia, Recuperação e Descarte”.

Dado que a maioria dos documentos MJ-12 são reproduções, é impossível analisar o papel ou tinta original. No entanto, numerosos detalhes objetivos podem ser cruzados, tais como as qualificações dos doze membros do comité, as datas das reuniões e a autenticidade das assinaturas.

Sem dúvida, o MJ-12 foi uma assembleia exclusiva: ao lado do Ministro da Defesa Forrestal, três diretores de agências de inteligência, um general da Força Aérea, um general do Exército, o Secretário do Exército e cinco dos cientistas mais influentes dos Estados Unidos faziam parte desta elite. 


FONTE:

PROJETO MAJESTIC 12 

 ASSISTA PRIMEIRO ESSE VÍDEO 

Above Majestic (2018) | Official Trailer HD

https://www.youtube.com/watch?v=q4TjJPx-QtM

A provocative look at what it takes to hide a multi-trillion dollar Secret Space Program from the public and the implications this has for humanity. Featuring David Wilcock, Corey Goode, John Desouza, Niara Isley, Jordan Sather, and more. Watch Now: https://geni.us/AboveMajestic    

DIRECTED BY Roger R. Richards

FEATURING David Wilcock, Corey Goode, Jordan Sather, Dr. Michael Salla



ASSISTIR NO YOU TUBE VÍDEO COMPLETO
Above Majestic - Legendado

Este vídeo apresenta os antecedentes históricos que conduziram os Poderes Executivo e Legislativo dos EUA às ações necessárias à reativação da Força Espacial norte-americana, entre as quais destacam-se:

- envio de um Memorando ao Pentágono, em 18 de dezembro de 2018, no qual o Presidente Donald Trump determinava o restabelecimento  do USSpaceCom, criado em 1985 e operante até 2002, quando, então, foi desativado pelo Presidente George W. Bush;

- assinatura do decreto estabelecendo a recriação da Força Espacial, em 19 de fevereiro de 2019, pelo presidente Donald Trump, o qual justificou a decisão nos seguintes termos:

"Este é um dia marcante, em que reconhecemos a centralidade do espaço na defesa e segurança da América.
 (...)
Nossos adversários já armam a órbita terrestre com novas tecnologias que visam satélites americanos fundamentais tanto nas operações nos campos de batalha quanto em nosso modo de vida em casa.
(...)
Os perigos para o nosso país evoluem constantemente, e nós também devemos evoluir."

- reconhecimento oficial do USSpaceCom como o 11º Comando de Combate Unificado do Departamento de Defesa, em 29 de agosto de 2019, durante cerimônia na Casa Branca;

- aprovação, em 17 de dezembro de 2019, pelo Senado norte-americano, em votação majoritária, do orçamento de US$ 738 bilhões para a reimplantação do projeto USSpaceCom.

Assim, o Comando Espacial dos Estados Unidos, USSpaceCom, enquanto divisão militar das Forças Armadas dos Estados Unidos, ressurgiu  com cerca de 16 mil integrantes, entre membros da Força Aérea e civis, liderados pelo General Jay Raymond e destinado às operações militares norte-americanas no Espaço Sideral.

- Conteúdo produzido pelo projeto Full Disclousure Project.
- Apoie o projeto Full Disclousure Project









EUCALIPTO ARCO-IRIS

  O  EUCALIPTO   A R C O - Í R I S  se destaca pelo colorido do seu tronco, de grande porte, podendo alcançar até 30 metros de altura. Suas ...